3 de novembro de 2015

PERSPETIVA CÓNICA - introdução




Hans Vredeman de Vries (1604)




A perspetiva cónica ou linear é um método sistemático de determinar a colocação das formas tridimensionais no espaço bidimensional, uma técnica de representar a ilusão da profundidade e das formas volumétricas numa superfície plana (folha de desenho ou tela).





Raphael (1505)




O desenho em perspetiva cónica baseia-se em certos princípios e num conjunto de regras que relacionam o observador (quem está a desenhar), o objeto que está a ser representado (figuras ou paisagens) e a sua imagem projetada num plano imaginário, o Plano de Quadro.








Um dos elementos mais importantes deste tipo de representação é a linha do horizonte (LH), que se encontra ao nível do olhar do observador e indica o seu ponto de vista.







Consoante a posição dos objetos, aparecem-nos acima, abaixo ou sobre a linha do horizonte.








Consoante a posição do observador, o objeto a desenhar tem uma aparência diferente.







Segurando um lápis ao nível dos olhos e fechando um deles, é possível determinar onde se situa a linha do horizonte: basta registar onde é que a altura do lápis corresponde a uma determinada referência.



































Alguns exemplos do uso da perspetiva cónica nas artes visuais:



Leonardo da Vinci (1495-1497)





Giorgio de Chirico (1888 - 1978)







David Hockney (1971)






Sem comentários:

Enviar um comentário